11 fev, 2019 / por Bento Augusto

Medo do bicho papão, medo do escuro, medo de barata, medo de altura, medo da morte, medo das mudanças… Você tem medo de alguma coisa?

As mãos ficam úmidas, o corpo fica trêmulo e os batimentos cardíacos aceleram. A mente entra em estado de alerta. Em alguns casos, o medo chega a paralisar. Todos nós sentimos medo e a ciência comportamental explica que essa sensação é uma reação instintiva dos seres humanos de proteção frente a uma ameaça.

Só que o medo pode nos levar a agir de diversas maneiras, inclusive de maneira destrutiva. É por isso que na PNL (Programação Neurolinguística) nós aprendemos que os nossos medos são ferramentas poderosíssimas para o autoconhecimento. O medo está o tempo todo nos mostrando quais são as nossas fraquezas.

O primeiro passo é encarar o medo de frente e ter consciência de que isso é algo que pode ser superado. O medo não escolhe pessoas para se instalar. É o nosso universo interno, nossas memórias traumáticas, que dá abertura para esses sentimentos se instalaram.

Se pergunte: por que eu tenho medo disso? Por que essa situação me paralisa? O medo pode existir, ele só não pode comandar nossas ações. Entender onde e quando eles foram gerados também ajuda bastante.  O medo pode existir. Ele só não pode te impedir de ser feliz. Pense nisso!

1234!