25 set, 2018 / por Bento Augusto

Todo comportamento tem uma intenção positiva. Essa é uma das pressuposições da PNL mais polêmicas. Como assim? – me perguntam os participantes dos Practitioners que ministro Brasil afora. Sim, todo comportamento tem uma intenção positiva, para a Programação Neurolinguística. E eu concordo e explico.

Todas as ações têm pelo menos um propósito: realizar algo que valorizamos e que nos beneficie. A origem de todos os comportamentos – sejam bons ou ruins – é uma intenção positiva. Mas quem rouba tem uma intenção positiva? – surgem questionamentos. Sim. E o importante para compreendermos aquele comportamento indesejado é entendermos qual é a intenção positiva na raiz daquela ação. Nesse caso, especificamente, podem ser várias as intenções positivas: possuir algo que não se tem, fazer justiça, simplesmente ser feliz ou outras tantas razões e boas intenções guardadas dentro de quem tem aquela ação, ainda que se trate de um comportamento moralmente reprovável.

A Programação Neurolinguística separa a intenção por trás da ação da ação em si. Nesse sentido, a PNL nos orienta a reconhecer a intenção positiva nos próprios comportamentos e nos comportamentos das outras pessoas. É uma forma de ampliar nossa visão de mundo e compreensão sobre o tão complexo quanto maravilhoso universo da mente humana.

Forte abraço!